domingo, 8 de abril de 2012

GOVERNADOR QUER DEMOLIR NOSSO INSTITUTO
SALVEMOS O IASERJ!
O governo Sergio Cabral decidiu desmantelar o nosso Instituto de Assistência dos Servidores do Estado do Rio de Janeiro - o IASERJ. Esvaziou os ambulatórios de Madureira, Penha, Gávea, Niterói e Maracanã. Descaracterizou o Hospital Geriátrico Eduardo Rabelo colocando-o à disposição da população pelo SUS. Transferiu o Hospital São Sebastião, de doenças infectocontagiosas, alocando parte de seus serviços dentro do hospital do IASERJ. Com o total desconhecimento dos servidores. E Cabral foi além: assinou acordo com o governo federal cedendo o nosso Hospital da Henrique Valadares, na Praça da Cruz Vermelha, para que o INCA seja ampliado.
Irresponsavelmente o governo decide que nós, contribuintes há décadas, disputaremos com a população o atendimento no SUS ou nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) ou vamos cair, quem ainda não caiu, nos braços dos planos privados. Se professores na ativa não conseguem bancar os altos preços dos planos privados, que dirão os aposentados e os funcionários administrativos com seus míseros salários?
A imprensa de 20 de outubro divulgou que morrem sete pessoas por dia por falta de internação. Há carência de leitos nos hospitais. E o governo Cabral quer desativar mais um grande hospital que possui 500 (quinhentos) leitos dos quais 420(quatrocentos e vinte) estão desativados, apenas 80 (oitenta) estão sendo usados.
O governo do Estado nunca prestou contas de como aplicava nossa contribuição de 2% (dois por cento) do vencimento para o IASERJ, nem que destino deu aos ambulatórios, médicos da rede privada e convênios que durante anos atendiam alguns municípios afora. Nunca cobrou do Município o repasse dos R$ 300 milhões que descontou dos servidores municipais quando eram atendidos pelo IASERJ. Tampouco prestou conta dos dez milhões de reais que a Assembléia Legislativa liberou em dezembro de 2007 para aplicar no Hospital central.
Criou-se o RIOPREVIDÊNCIA aumentando para 11% a contribuição previdenciária resultante de 9% para o IPERJ e de 2% para o IASERJ. Continuamos, portanto, descontando para termos assistência social e à saúde, conforme determina o artigo 88 da Constituição Estadual que não sofreu nenhuma alteração nesse artigo por ser uma cláusula pétrea, ou seja, para ser modificada precisa ter o voto de 2/3 dos deputados estaduais.
Apesar de tudo o hospital continua funcionando. E está equipado com tomografia computadorizada, ultrassonografia, Serviço de Pronto Atendimento (SPA) com quatro quartos e cinco leitos movidos por controle remoto e um moderno aparelho de raios-X cada leito, além de outros serviços. O SPA está informatizado e climatizado. Algo comum no Primeiro Mundo. Não obstante, o sucateamento é flagrante. A maior perversidade é estimular entre os servidores a idéia de que o IASERJ acabou.
É inegável a importância do INCA, mas é inaceitável que queira ser ampliado sobre o nosso patrimônio. Não fossem os protestos de setores da sociedade e a resistência dos servidores, especialmente da AFIASERJ – Associação dos Servidores do IASERJ o nosso hospital já teria vindo abaixo.
A política de privatização dos serviços públicos elege a saúde e a educação públicas o alvo da vez solapando nossos direitos de servidores públicos. Ela se expressa nas alianças neoliberais destas últimas eleições e tem nas medidas adotadas pelo prefeito do Rio de Janeiro seu mais cruel exemplo.
Por isso, no dia 27 de outubro, às 14h, PROTOCOLAMOS na Assembléia Legislativa uma AÇÃO POPULAR POR CRIME DE RESPONSABILIDADE contra o governador do Estado do Rio por tentar destruir o IASERJ.
Atenção: os Núcleos e Regionais responsabilizaram-se por garantir pelo menos cinco pessoas para o ato do dia 27. Todos pegaram seu formulário no SEPE local, preencheram, assinaram, reconheceram a firma e anexaram os documentos autenticados (identidade, CPF, título eleitoral e comprovante de residência). Depois, com uma cópia na mão, compareceram ao protocolo da ALERJ para dar entrada na Ação. O SEPE/RJ também encaminhará uma ação coletiva.
Também colhemos assinatura dos parlamentares num Manifesto de Compromisso pela defesa do IASERJ.
Solicitamos ainda às direções do SEPE que recolhessem depoimentos de colegas antigos ou recentes que utilizam ou já utilizaram os serviços do IASERJ para um Boletim especial.
EXIGIMOS O FUNCIONAMENTO PLENO E IMEDIATO DO IASERJ EM TODO O ESTADO!
Comissão de Organização da Luta em Defesa do IASERJ
(21) 21950450 e 0470 (SEPE/RJ) e 227731558/88753794 (Florinda Lombardi)
(21) 8637-8550 e 2605-6254 (Avanir)/ 7856-1048 (Mariléa) 

Nenhum comentário: