sábado, 5 de janeiro de 2013

Contra a Força não há Resistência- O IASERJ foi demolido

Não consigo aceitar que o nosso hospital esteja sendo realmente demolido porque há mais de trinta processos entre administrativos e judiciais que não tiveram o mérito julgado até a presente data. Fico imaginando o que aconteceria se algum juiz resolvesse determinar que o IASERJ não podia ser demolido e ele já estiver todo no chão. Será que o Governador seria obrigado a construir um hospital novo para os servidores estaduais? Ou o juiz determinaria que já que onde estava o nosso hospital será construído Centro de Pesquisas, estacionamento e praça pelo INCA em vez de aumentar o quantitativo de leitos, os imóveis onde funcionam unidades do INCA passassem a serem adaptados para funcionarem como Hospital Central do IASERJ e ambulatórios em substituição aos que foram cedidos e doados ao arrepio da vontade dos seus verdadeiros donos, que são os servidores públicos do Estado do Rio de Janeiro em cujos contracheques descontam há anos para sua assistência à saúde e social pelo IASERJ, conforme o Artigo 88, da Constituição Estadual de 1989, que não foi alterado e no entanto os órgãos que lá constam já foram defenestrados como o IPERJ, o IPALERJ e por último o IASERJ. Desmantelaram toda uma rede hospitalar e, como a resistência pelas entidades representativas dos servidores, principalmente da AFIASERJ, do SEPE, do SINDJUSTIÇA, do SINTUPERJ, do SINDSPREV/RJ, do SINFAZERJ e outras e de partidos políticos como o PSOL, o PDT( Paulo Ramos), o PSTU, o PCO, o PMDB(Glorinha), o PV (vereadora Sonia Rabelo) o PCB e o PCR, ou seja, todos que fazem oposição a estes malfadados governos do "Estamos juntos" destruindo o serviço e o servidor público. Resolveram transferir o conteúdo de 9 (nove) prédios que compunham o hospital central do IASERJ para dentro do Ambulatório Maracanã erigido em um único prédio de 3(três andares). Como instalar Rio de Janeiro dentro de Niterói? Até hoje há médicos que vão lá e ficam esperando o colega acabar de atender os seus pacientes para que possa usar o mesmo consultório, as cadeiras da Odontologia ainda não foram instaladas porque não arranjaram uma solução de espaço para isso, e os mais de 40(quarenta) dentistas ficam se esbarrando, sem poder atender os pacientes, o CETAFE (Centro de Tratamento de Feridas), que só existia no IASERJ, foi desativado, um arremedo de ginasium foi maquiado para que os fisioterapeutas pudessem atender os pacientes cujo tratamento inclui exercícios (cinesioterapia) e essa adaptação demorou meses para ser concluída o que levou diversos pacientes, inclusive eu, a interromper o tratamento que fazíamos à época. Tudo isso está denunciado, inclusive com fotos e até agora não houve nenhum julgamento do mérito. Está tudo dominado: Ministério Público, Defensoria Pública, Tribunal de Justiça, ALERJ, OAB, Sociedade Civil e os próprios servidores públicos que quando convocados não foram às ruas em número significativo para deter a sanha deste (des)governo que quer a cidade e o estado bonito para a Copa e as Olímpíadas e o povo que se exploda!"
Estive no Ambulatório Maracanã na última quarta-feira e o calor era infernal. Pasmem não há bebedouros nos andares e nem ventiladores ou aparelhos de ar condicionado.  O pessoal não estava aguentando o calor insuportável. Uma paciente redigiu ali mesmo, à mão um abaixo assinado solicitando a colocação de ventiladores nos andares e todos os pacientes que estavam lá, naquele dia assinou na esperança de que haja uma solução. Há uma pergunta que não quer calar: o que foi feito daqueles aparelhos de ar condicionado que foram arrancados do hospital Central do IASERJ e levados por caminhões?

Um comentário:

Mariana disse...

Eu ficaria muito triste se o hospital de oftalmologia no rio de janeiro fosse demolido, então entendo como você se sente neste momento...
A verdade é que o governo tem que fazer sempre o melhor para as pessoas da cidade...